Maratona do Porto e Triatlo Longo dos Açores

10ª Maratona do Porto
8:00 da manhã. Os primeiros atletas vão chegando à Rua Júlio Dinis, numa manhã fria de Outono. O Sol já espreita por trás do Hospital de Santo António, abrindo luz para uma manhã agradável para correr e os atletas, cada vez em maior número, vão tirando lentamente as suas roupas até ficarem no seu traje final de competição. "Afinal não está assim tanto frio" - pensam eles, já aglomerados junto à linha de partida. Imiscuídos entre os cerca de 3.000 participantes na Maratona, estavam os nossos triatletas em grupo, trocando palavras de incentivo, votos de boa prova, como quem deseja boa viagem a quem vai partir. A Maratona é assim, longa, incerta, desafiante, aliciante... Instantes antes do tiro de partida, trocam-se os últimos olhares cúmplices e mais votos de boa prova. "Havemos de nos encontrar mais tarde" - pensam eles, durante o percurso ou talvez após a meta para um abraço e celebrar mais um desafio superado.


Com o passar dos quilómetros, o pelotão vai-se alongando, como que de uma selecção natural das espécies se tratasse. A equipa AASM Triatlo também já vai dispersa... Na frente da equipa seguiam o Nuno Vieira e o Cláudio Maia, sem medo do incerto, encarando o desafio de frente, confiantes na sua preparação, mesmo sendo a sua estreia na distância. E terminaram com sucesso o desafio. Mas não terá sido fácil... Aliás, nunca é fácil terminar uma maratona, muito menos a um ritmo médio na casa dos 4:30/km. Mas estes atletas suportaram com muita garra e determinação a última surpresa que a maratona lhes tinha reservado, os últimos km... Sempre os mais duros. Pouco depois terminava o Paulo Calejo. Estávamos por volta das 3h15 de prova. Milhares de atletas ainda haveriam de concluir a prova.

E os nossos atletas que, não tendo participado na prova, se deslocaram até lá para apoiarem os nossos maratonistas? Simplesmente fantásticos! - "Força Nuno! Vai Paulo! Anda Joana!" - Palavras de incentivo que soavam ao virar de uma esquina e valeram mais que qualquer posto de abastecimento providenciado pela organização. Mas nem esse tal abastecimento físico faltou! O grande José Silva, triatleta ainda a saborear o rescaldo do Iberman, esteve presente, de mochila às costas, a correr com os nossos atletas, prestando apoio moral e físico quando necessário.


Depois terminou o Pedro Reis, pouco depois o Paulo Costa e, logo a seguir, o Rui Pena e a Carla Mendes. A Joana Creissac e o Paulo Neves terminariam já para lá das 4 horas, mas todos, sem excepção com um denominador comum: a felicidade estampada no rosto por mais um duro desafio superado. O grupo voltava a estar junto, se é que alguma vez se separou... Cada um partilhava então a sua experiência. Nem todos atingiram os objectivos pessoais a que se tinham disposto, mas, meus caros atletas, vocês foram extraordinários mais uma vez! Terminar uma Maratona é sempre uma grande prova de disciplina, determinação e capacidade de sofrimento...

259º - 106º M20 - Nuno Vieira - 03:10:50
282º - 119º M20 - Cláudio Maia - 03:12:29
                              Paulo Calejo (tempo a rondar as 03:15:00)
667º - 276º M20 - Pedro Reis - 03:27:59
886º - 194º M40 - Paulo Costa - 03:36:16
958º - 204º M40 - Rui Pena - 03:38:54
965º - 17ª F40 - Carla Mendes - 03:39:16
1997º - 65ª F20 - Joana Creissac - 04:14:49
2171º - 359º M45 - Paulo Neves - 04:23:36

Ainda no programa da Maratona, participaram na Family Race (16 km), João Macedo, Daniel Oliveira, Ricardo Cunha, Telma Moreira e Joana Cunha.

268º - 65º M20 - Ricardo Cunha - 01:17:29
1386º - 323º M20 - Daniel Oliveira - 01:34:47
1458º - 888º M35 - João Macedo - 01:35:50
1617º - 107ª F20 - Joana Cunha - 01:38:12

Triatlo Longo dos Açores
Nos Açores, disputou-se a última etapa do Campeonato Nacional Individual de Triatlo Longo, com a presença do triatleta AASM Luís Ferreira. Para concluir o duro desafio de nadar 1.900 metros, pedalar 90 km e correr 21km, o Luís precisou de 5h46m12s, tendo terminado a prova na 26ª posição da geral.


0 comentários: