Correr a Maratona do Porto pela 11ª vez


 
A manhã estava bem fria, quando os atletas começaram a chegar à zona da partida para mais uma edição da Maratona do Porto. Seria a 11ª primeira para 8 atletas, um desses totalistas foi Luis Pires, atleta da equipa de Triatlo da AASM que já conta com mais de 110 maratonas no seu currículo.

Foi algum tempo antes da partida que os atletas da equipa se começaram a agrupar perto da entrada do Palácio de Cristal. Como normalmente acontece em provas desta distância, a noite não tinha sido tão bem dormida como deveria, notava-se algum nervosismo no ar, para alguns era a estreia na distância mítica, para outros os pensamentos andavam entre o será que vou aguentar? andei a treinar para bater o meu recorde será que consigo? Afinal são sempre 42km a correr.

Com o sol ainda a brilhar deu-se o tiro de partida e como seria de esperar à passagem da rotunda os atletas já tinham encontrado os seus ritmos e já se tinham posicionado junto aos balões com os tempos para que tinham treinado.

Lá na frente, andavam os Etíopes ao barulho com o Rui Pedro Silva, mas na frente da comitiva da equipa as coisas seguiam o ritmo normal, com o esperado Nuno Vieira à frente, a impor o seu andamento forte, até ao João Macedo, todos davam o seu melhor.

Ainda com a corrida no início, no primeiro retorno em Matosinhos, os atletas cruzaram-se pela primeira vez, com os músculos ainda frescos e os cumprimentos a fazeram-se com muita animação.

Na primeira passagem pela Ribeira do Porto, já se corria a segunda metade da prova e já se começam a notar as diferenças de andamento entre os atletas. Esta parte da prova é a que tem mais gente a ver e a apoiar, e esse apoio ajuda, é ver os atletas a acelerar ao ritmo dos aplausos.

Pouco depois da Marina de Gaia faz-se o segundo retorno, este ano para os atletas não terem de fazer uns metros em direção ao Freixo, a ida a Gaia fez-se até mais à frente. Os atletas voltaram a cruzar-se os cumprimentos e os sorrisos mantiveram-se, mas já se notava nas caras que a frescura já não era a mesma.

Na segunda passagem pela ribeira, a massa que parou para ver os atletas passar mantinha-se, a adrenalina ao passar com tanta gente aumentava, mas para muitos era nesta altura que o mítico muro se fazia sentir. Aquela altura em que a energia disponível se esgota e o corpo começa a queimar a energia mais lenta, acumulada nos músculos e nos tecidos. Aquela altura que grande parte dos atletas conhece bem e onde se instala uma imensa vontade de parar e ficar ali a ver os outros passar.

Mas a vontade de continuar supera o momento e afinal já se correu mais de 3 quartos da prova e não é ali que as coisas estão destinadas a acabar.

Costuma-se dizer que os primeiros 32 km são corridos com as pernas, os últimos 10 com a cabeça e os últimos 495 metros são corridos com o coração, e quem se encontrava a assistir à prova era isso que presenciava, na ultima subida, pela Av da Boavista até ao parque da cidade, are ver os atletas a irem buscar energias onde já não as há e conseguirem acelerar até à meta.

Os primeiros atletas da equipa ainda conseguiram terminar a prova com o sol a brilhar, com o Nuno Vieira a conseguir baixar das 3 horas, Depois, um a um foram chegando, até que, a partir das 4 horas de prova, todos os que terminaram, já foi sob um manto de chuva forte, que para uns veio ajudar a refrescar, mas para outros só veio trazer dificuldades acrescidas à dureza da distância. E com melhor ou pior tempo, todos os que se propuseram a fazer esta empreitada, cruzaram a linha de chegada.

Mas acima de tudo, o sentimento geral foi de dever cumprido, foi mais uma manha bem passada a fazer algo que, quem participou, gosta de fazer.

156º (35º M35) - Nuno Vieira - 2:58:57
270º (65º M35) - Pedro Reis - 3:06:19
499º (3ª M40) - Carla Mendes - 3:14:23
529º (131º M35) - Rómulo Teixeira - 3:14:55
713º (172º M40) - Paulo Costa - 3:20:34
751º (148º M35) - Paulo Calejo - 3:22:11
893º (35º M55) - Luís Sousa Pires - Atleta - 3:25:48
1631º (257º M45) - Paulo Neves - 3:23:29
1654º (389º M40) - Rui Pedro Pena - 3:44:14
2629º (447º M20) - Pedro Pereira - 3:05:03
3054º (691º M40) - Miguel Vieira - 4:17:56
3210º (475º M45) - Jose Mateus Tavares - 4:23:02
3771º (806º M40) - Joao Miguel Macedo - 4:50:02

Parabéns a todos.

0 comentários: